trem-anima

 

CBTU-BH e Sindimetro realizam campanha de vacinação contra Herpes Zoster e Pneumonia 2017

521b84a2dcd62.image A Saúde Ocupacional da CBTU-BH, em parceria com o SINDIMETRO e a Clínica Itabayana, realizam nesta segunda e terça-feira, 13 e 14 de novembro, agendamento para a Campanha Anual de Vacinação contra Herpes Zoster e Pneumonia. Serão 20 doses disponíveis para Herpes e 60 para Pneumonia, sendo metade para a Sede e metade para PSG. Podem participar da campanha, empregados da CBTU-BH e associados ao Sindicato com faixa etária igual ou superior a 50 anos.  O SINDIMETRO cobrirá até 50% do valor das vacinas para seus filiados.

Quem optar pela aquisição de ambas as vacinas poderá efetuar o pagamento em até 10 vezes sem juros no cartão de crédito. Os agendamentos serão no:

Ambulatório do PSG - 9h às 11h. dia 13/11 – Telefone 3250-3875

Ambulatório Sede/CCO -9h às 11h dia 14/11 – Telefone 3250-4063

Quem já tomou a vacina contra Herpes Zoster, não precisa de outra dose. Já a de Pneumonia pode ser tomada como dose de reforço. Durante a primeira fase da campanha de vacinação, a dose disponibilizada era a Pneumo 13. Desta vez, será feito um reforço com a Pneumo 23, que fechará o esquema vacinal. Realizado o agendamento, a vacinação acontecerá diretamente na clínica.

Herpes – Atingindo 90% da população mundial, a Herpes não tem cura, mas  pode ser tratada e controlada por meio de vacinas. Ela pode ser labial – tipo 1 – ou genital – tipo 2. Mesmo assim, existem casos em que a doença se manifesta em outras partes do corpo, como nariz, olhos, etc. Fatores como, queda da imunidade, traumas, cansaço, estresse, exposição ao sol ou ao frio intenso e tensão emocional podem contribuir para o desenvolvimento da doença.

Pneumonia – Febre alta, suor intenso, calafrios, falta de ar, dor no peito e tosse com catarro são os principais sintomas da pneumonia, que é a inflamação nos pulmões causada por agentes infecciosos, como fungos e bactérias. A doença pode aparecer em qualquer idade, nas pessoas acima dos 50 anos devem ter cuidado redobrado e se vacinar sempre que possível. Pessoas afetadas por doenças crônicas em órgãos como pulmão e coração são alvos mais fáceis para o pneumococo, bactéria causadora da doença.