trem-anima

 

A Gerência Operacional de Recursos Humanos, por meio do Serviço Social, oferece informações sobre a política governamental de Assistência farmacêutica. O setor está pronto para esclarecer dúvidas e orientar os colaboradores sobre como acessar os direitos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde e Secretaria Estadual da Saúde.


De acordo com a gerente, Rosana Ferreira, a informação é o primeiro passo para que as pessoas façam uso do benefício. “A divulgação da assistência farmacêutica é fundamental, uma vez que nivela o conhecimento e apresenta aos empregados todos os serviços dos programas e a forma de solicitar os benefícios”.


170615cFarmácia Popular: Os empregados poderão conhecer detalhes sobre o Programa “Farmácia Popular” que disponibiliza medicamentos gratuitos para hipertensão, diabetes e asma. A iniciativa também oferece preços até 90% mais baratos para outros 13 tipos de remédios, utilizados no tratamento de dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de contraceptivos e fraldas geriátricas para incontinência. Disponível a todos os cidadãos que estejam em tratamento e precisem dos medicamentos, a Farmácia Popular conta, atualmente, com mais de 20 mil estabelecimentos conveniados em 3,7 mil municípios. Os interessados devem se dirigir à rede credenciada identificada pelo cartaz “Aqui tem Farmácia Popular”, munidos do CPF, Identidade e receituário.

 

Medicamentos Excepcionais: O programa oferece acesso gratuito a 226 medicamentos utilizados no tratamento de diversas patologias, como insuficiência renal crônica, hepatite viral B e C, osteoporose, problemas de crescimento, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, doença de Gaucher e imunossupressores para pacientes transplantados, entre outras. Para solicitar, é necessário abrir um processo administrativo na Farmácia Regional de Belo Horizonte da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (Av. do Contorno, 8495), que será avaliado conforme portarias e protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

 

Quando estes programas não atendem as demandas, qualquer cidadão pode acionar a Defensoria Pública-Saúde, dirigindo-se com a documentação até a Rua Bernardo Guimarães, 2.640, atrás do colégio Santo Agostinho.


Mais informações poderão ser obtidas no Serviço Social, pelos ramais 4065 ou 4078.