trem-anima

 

2256Terminou na última semana, o Treinamento para Desinfecção de Áreas com Grande Aglomeração de Público, ação realizada pelo Exército Brasileiro com apoio do Governo de Minas, para qualificar mais de 80 profissionais de diferentes instituições públicas e órgãos de governo, a fim de reforçar o combate à COVID-19 no Estado.  

Na última etapa da qualificação, os profissionais participaram de uma sessão prática coordenada por oficiais da Seção de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Exército, que envolveu a descontaminação de uma estação de ônibus do Move Metropolitano, em Belo Horizonte. A atividade serviu para explorar o conhecimento teórico acumulado durante o treinamento, incluindo normas técnicas ligadas à segurança do trabalho em serviços de saúde, uso adequado dos equipamentos de proteção individual, procedimentos aplicáveis para a descontaminação de áreas, produtos químicos recomendados e  cuidados essenciais para se evitar a transmissão do vírus em espaços de grande circulação. 

Reconhecendo a importância da qualificação, o coordenador de Via Permanente e Edificações da CBTU-BH, Leonardo Alves, destacou que o momento exige persistência e comprometimento de todos. “A CBTU-BH tem se empenhado ao máximo para promover a limpeza e a desinfecção de superfícies, buscando evitar a contaminação de empregados e usuários pela COVID-19. Contudo, é fundamental que a população também participe e adote medidas de autoproteção e cuidado pessoal, colaborando para frear o avanço da pandemia em Minas. O momento exige de nós muita persistência, responsabilidade e envolvimento coletivo”. 

Além dos profissionais da CBTU-BH, a capacitação reuniu representantes das Coordenadorias Municipais de Proteção e Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Guarda Civil e agentes de endemias que atuam em pelo menos 14 municípios mineiros. O objetivo agora é seguir disseminando o conhecimento aplicado e conscientizando sobre a importância dos procedimentos de sanitização de áreas de grande circulação, bem como quanto ao correto descarte de EPI’s e resíduos gerados na desinfecção. A expectativa é que cada órgão seja capaz de formar novas turmas de multiplicadores e que este esforço se ramifique, alcançando o maior número possível de mineiros.