trem-anima

 

2258Desde o surgimento dos primeiros casos da COVID-19 no Brasil e da Declaração do Estado de Calamidade por parte do Governo Federal, em 20 de março, a CBTU-BH tem se mobilizado, incessantemente, para cumprir as recomendações de isolamento social propostas pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde. Uma das mais desafiadoras medidas adotadas pela empresa foi a instituição do Regime de Trabalho Remoto, implementado a partir da edição da Resolução da Presidência (RDP 106/2020).

O curtíssimo prazo para a operacionalização da medida obrigou a Coordenação de Informática da CBTU-BH a realizar em tempo recorde a parametrização de sistemas para o acesso remoto à rede corporativa VPN (Virtual Private Network).  Em menos de um mês, o número de pessoas conectadas remotamente saltou de 3 para mais de 150 novos usuários. Apesar do desafio gigantesco, o feedback positivo dos usuários e o reflexo benéfico das medidas tem sido amplamente notado.  

A técnica em gestão da Coordenação de Desenvolvimento, Paula Assis, reconhece que o suporte da TI tem sido essencial para viabilizar o trabalho remoto: “A Informática tem exercido papel fundamental contribuindo, prontamente, para dar suporte às minhas solicitações, seja em relação ao acesso à rede, ao sistema Totvs ou demais ferramentas da quais dependo em minhas rotinas de treinamento, hoje, realizadas em ”.  “Fui positivamente surpreendida com a agilidade de resposta da TI e com a capacidade deles em gerir acessos simultâneos. A equipe conta com técnicos gentis e prestativos e o suporte deles tem sido imprescindível para amenizar a nossa apreensão”, afirma a técnica industrial da Coordenação de Gestão de Estoques, Rozenir Apolinário Gonzaga.

O coordenador de Informática da CBTU-BH, Jackson Viveiros, afirma que entre os benefícios da adoção do regime de trabalho remoto pode se enumerar a redução no consumo de dados de internet da CBTU-BH, que caiu cerca de 80%; a ampliação da velocidade de conexão, a redução no consumo de energia, ganho de eficiência em tarefas que exigem alta concentração e o monitoramento real do consumo de dados móveis. “O uso médio de link de internet pelas áreas, que no regime presencial chegava a 40 megabits por segundo, hoje, não tem passado de 4 megabits e, sem comprometer em nada a velocidade de conexão da rede corporativa ou o cumprimento de rotinas como execução financeira e orçamentária, processamento da folha de pagamento e outras.”

Dados da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal, do Ministério da Economia, revelam que mais de 43% dos empregados de órgãos e entidades da Administração Federal estão em trabalho remoto, em razão da pandemia do coronavírus (Covid-19). Considerando que essa modalidade tornou-se tendência mundial, pode-se perceber este tempo como o momento ideal para aprender as melhores práticas e para exercitar habilidades de autogerenciamento.