trem-anima

 

Para controlar os indicadores da manutenção e apontar caminhos para soluções de problemas críticos, a CBTU Recife através da Coordenação Operacional de Planejamento e Engenharia da Manutenção (Copem), a pedido da Gerência Regional I Manutenção (Giman) criou a ferramenta GISSMAN (Gestão de Indicadores de Suporte para Soluções de Manutenção). O sistema, desenvolvido pelo engenheiro de Operações e Gestão da Qualidade, Rafael Pêpe, é acessado via internet e tem sido, inclusive, utilizado como app de celular quando instalado um link na tela do smartphone. 

              230819ac                                                       230819ac2

“A ferramenta GISSMAN propicia para os gestores, informações que possibilitam uma melhor análise do seu desempenho e onde mais há necessidade de intervenção, otimizando os recursos materiais e humanos e consequentemente, conseguindo melhores resultados”, destaca o Gerente Regional de Manutenção, Fábio Dantas.

De acordo com o coordenador Operacional de Planejamento e Engenharia da Manutenção, Adalberto Nunes, a grande vantagem do GISSMAN é que ele propicia aos gestores informações com atualização a cada meia hora. “Pode-se visualizar alguns indicadores-chave como, por exemplo, disponibilidade de trens, mapa de falhas, de modo que conseguimos fazer análises quantitativa e qualitativa do desempenho de um determinado bem”, complementa.

Os indicadores de desempenho são instrumentos de gestão essenciais para medir os resultados de uma empresa. Com eles é possível acompanhar se as metas traçadas estão sendo alcançadas. Entre os indicadores-chave de desempenho, também controlados no GISSMAN, estão a MKBF (Mean Kilometer Between Failure) ou em português, quilometragem média entre falhas; MTTR (Mean Time to Repair), que em português significa Tempo Médio para Reparo, calculado através das ordens de serviço (OS); e Tempo de Atendimento, baseado nas Solicitações de Serviço (SS), que indica o tempo entre abertura e fechamento da solicitação.

Dentre as principais saídas do GISSMAN pode-se destacar à referente ao mapa de calor, aonde é possível visualizar todas as falhas de um determinado trem crítico em um período específico, tendo acesso inclusive às soluções registradas pelas equipes quando do fechamento das ordens de serviço.

Mais de sessenta empregados da CBTU Recife já foram capacitados para a utilização da ferramenta e já foram registradas melhorias como na qualidade das informações no fechamento das falhas, o que permite a identificação da causa raízes das falhas. O seu mapeamento possibilita a melhoria na capacidade de intervenções e a confiabilidade de trens e sistemas fixos.