trem-anima

 

091121acNesta sexta, 05, foi assinado na sede da Administração Central da Companhia, em Brasília, o contrato de transporte de 30 carros de passageiros e 3 locomotivas doadas pela Companhia Cearense de Transporte Metropolitanos (Metrofor) para a CBTU. A previsão é que o transporte das composições seja iniciado neste mês de novembro. Estiveram presentes na assinatura do contrato, o diretor-presidente da CBTU, José Marques de Lima; o chefe de gabinete, Marcos Galindo; a assessora da presidência, Antoniela Marques; o gerente geral – Estudos e Projetos (Gaesp), André Jóia; e Leonardo Rodrigo Campos, da empresa contratada para o serviço de transporte, Multiprime.

"A assinatura desse contrato foi muito importante para a Companhia, pois permitirá que as composições doadas pela Metrofor, após passarem por vistoria e reforma pelas equipes de manutenção da CBTU, possam ser postas novamente em atividade. Uma boa parte desses carros de passageiros serão utilizados pela STU Natal, viabilizando a ampliação do sistema", explicou André Jóia, da Gaesp. A implantação das chamadas Linha Branca e Linha Roxa permitirá a expansão do sistema ferroviário de natal a partir da remodelação de 28 km de via férrea e a construção de 7 estações: duas em Parnamirim, uma em São José de Mipibu, uma em Nísia Floresta e três em são Gonçalo do Amarante. Quando finalizadas, irão beneficiar cerca de 9 mil usuários diariamente.

Os demais carros de passageiros irão ser doados para projetos sociais e de estímulo à valorização do transporte ferroviário, sendo transformados em bibliotecas, por exemplo. Segundo Jóia, algumas prefeituras já sinalizaram interesse, como as de Timbaúba, Gravatá e Jaboatão, em Pernambuco.  

Doação da Metrofor

A Companhia Cearense de Transporte Metropolitanos (Metrofor) doou três locomotivas movidas a diesel e 30 carros de passageiros, modelo Pidner, para a CBTU, em junho de 2020. A medida foi autorizada pelo governo do Ceará e aprovada pela Assembleia Legislativa daquele estado. De acordo com a Metrofor, a frota doada não é mais compatível com o sistema metroviário atualmente adotado no Ceará. Os vagões do modelo Pidner possuem bancos laterais, e não fileiras de poltronas, o que faz com que os passageiros viajem de costas para as janelas e liberem amplo espaço interno no veículo. Os trens possuem ar condicionado, piso de PVC, bancos com assentos individuais e revestimento compostos por fibra de vidro e plástico de alta resistência.