trem-anima

 

2054A Comissão de Instrução de Serviço da CBTU-BH celebrou na última semana (8/5) a 150ª reunião do grupo, com a publicação da IS 034/STU-BH Edição B - “Autuação e Notificação de Infração de Trânsito” e com a abertura dos debates sobre uma nova instrução 029/STU-BH,  que vai  abordar os procedimentos para “Isolamento e Sinalização de Segurança em Atividades ao Longo da Via Permanente”.

O secretário geral da Comissão de IS, Luiz Flávio Soares Machado, aponta que nos últimos 12 meses, a Comissão atuou em favor da revisão ou implantação de pelo menos 15 instruções de Serviço, envolvendo temas como: regulamentação para manobras em áreas de AMV e vias do Pátio Eldorado; Sistema de arrecadação, Atividades de treinamento, Procedimentos em caso de acidentes do trabalho, Meios de comunicação digital da STU-BH e Procedimentos em afastamentos médicos, odontológicos e sociais. Dois outros grandes temas foram desdobrados em instruções mais específicas, quais sejam os procedimentos relativos à Gestão e Fiscalização de Contratos - que resultarão na criação de quatro novas Instruções, bem como as definições pertinentes à Licitação e Contratação de serviços, obras de engenharia e aquisição de materiais, que vão gerar três novas instruções.

Melhores práticas: na avaliação do presidente da Comissão, Alexandre Resende, as Instruções de Serviços funcionam como textos-base para a normatização de processos e sua aplicação exige que cada área passe a refletir sobre suas atividades com o planejamento necessário e com a indispensável segurança que toda tarefa exige. “A instrução ajuda na disseminação de uma cultura de excelência em serviços, que faz com que os empregados se preocupem em adotar padrões de execução que primam pelo aprimoramento de conhecimentos, refinamento de sua experiência pessoal e busca incessante das melhoras práticas”. Outro cuidado essencial é a atualização contínua dos instrumentos. “Publicamos há pouco a revisão da IS 034, que foi um pedido da Gerência de Administração, face às novas regras do Código Nacional de Trânsito, além de estarmos envolvidos na normatização dos processos de Licitação, Gestão e Fiscalização de Contratos, temas que registraram mudanças significativas em 2018 e que vêm exigindo atenção especial da Comissão, nos últimos meses. 

O analista técnico, Ubiratan Oliveira, pondera que o envolvimento e participação dos empregados é a etapa mais importante no processo de implementação das IS’s. “São eles que identificam e levam as demandas de suas áreas à Comissão, bem como ajudam na execução diária dos procedimentos previstos nas normas. O envolvimento das pessoas é o único caminho efetivo para o cumprimento das normas implementadas”.