trem-anima

 

2308Cinco das 19 estações da CBTU Belo Horizonte passaram por nova fase de desinfecção com pulverizadores e produtos químicos específicos para a limpeza de áreas públicas. Vila Oeste, Calafate, Carlos Prates, Lagoinha e Central receberam os serviços de descontaminação em todas as plataformas e salas operacionais, em ação promovida na última semana (29). 

Atendendo a Decreto Municipal, que determinou o fechamento do comércio não essencial na cidade, a CBTU segue operando em escala reduzida, mas ações como essas servem para lembrar que a proteção dos empregados e usuários do metrô vem sempre em primeiro plano. Segundo o gerente operacional de Estações, Marcos Aurélio Paranhos, “a Companhia segue trabalhando, incansavelmente, para manter todos os espaços livres de doenças infecciosas. Desse modo, a empresa evita riscos à população que necessita do transporte público essencial e dá mais segurança a todos que precisam utilizar o sistema”.

Para a assistente operacional de Estações, Mariana Silvano, a limpeza adotada tem sido essencial para preservar a segurança do trabalhador. “É de extrema importância redobrar estes cuidados, a fim de reduzir os riscos de exposição e para podermos trabalhar com segurança, zelando pela proteção de todos e pela qualidade dos serviços”, afirma.  

Limpeza reforçada durante a pandemia: A CBTU-BH promove, atualmente, três tipos de limpeza, que incluem: limpeza diária, feita durante a operação das estações. A limpeza profunda, que usa de materiais desinfetantes e ocorre após o fechamento das estações e a limpeza para a descontaminação de áreas, que utiliza pulverizadores e produtos químicos específicos na higienização de pisos, paredes, pilastras, corrimãos, bloqueios, guichês, escadas, maçanetas, parapeitos e bancos de plataformas. Os trens também vêm recebendo o mesmo tratamento, com a assepsia para desinfecção promovida, diariamente, nas oficinas de Eldorado e São Gabriel, além da limpeza habitual entre viagens. 

Outras ações de enfrentamento: operação com trens acoplados (que ampliam a oferta de lugares e favorecem o distanciamento social), programa horário especial, distribuição de EPIs e insumos de proteção à colaboradores, qualificação de empregados, demarcação de piso em estações, afastamento e adoção do trabalho remoto para empregados inseridos em grupos de risco, escalas de revezamento, campanhas educativa e de conscientização contra a Covid-19 em estações, trens e redes sociais, entre outras iniciativas.