trem-anima

 

2313O aprendizado não pode parar! E é com essa mentalidade que, na última terça (7), todos os menores aprendizes da CBTU Belo Horizonte tiveram a oportunidade de participar de mais uma reunião online, dessa vez com o tema “Emoções e Ansiedade”, promovida pela Coordenação de Desenvolvimento de Recursos Humanos.  

Os encontros estão sendo periódicos e em pequenos grupos, para fomentar a interação entre os participantes. Durante a conversa virtual, a técnica de gestão, Elizabete Torsani, promoveu momentos para ouvir como os jovens estão lidando com este momento de isolamento, quais são suas angústias e medos e trabalhou o controle das emoções a partir do que foi apresentado pelos aprendizes. 

Elizabete Torsani sugeriu cinco dicas para serem praticadas, a fim de ajudar a passar com mais leveza pelo enfretamento à Covid-19. São elas: Respirar – separar um momento do dia para focar na respiração ajuda a controlar a ansiedade, a trazer foco e paz.  Praticar a gratidão – apesar do momento, lembrar sempre de agradecer pelas grandes e pequenas coisas do dia a dia. Não se comparar com o outro – todos passam por necessidades, que muitas vezes não são divulgadas e é importante que não haja comparações. Planejar – é necessário organizar uma agenda, para visualizar as tarefas a serem cumpridas no dia e manter-se produtivo. Se conectar com suas virtudes – não se pode esquecer dos pontos fortes e fracos que cada um tem e é importante verificar as melhorias a serem trabalhadas. “A motivação está dentro de nós e somos responsáveis pela gestão do que sentimos. A ansiedade, o medo, a raiva e a tristeza são sentimentos normais, mas é necessário receber esses sentimentos e transformá-los, estabelecendo o controle das nossas emoções”, acrescenta Elizabete Torsani. 

Veja o que os menores aprendizes estão dizendo das reuniões virtuais:

“O conteúdo das lives eleva nossa autoestima e nos ensina a controlar nossas emoções. Eu agradeço muito por ter a oportunidade de participar: GRATIDÃO! ”. - Bianca Prado, COARH.

“As lives estão sendo muito criativas e estão nos ajudando a pensar que podemos superar essa pandemia juntos e aprender cada dia mais”. - Vitória dos Santos, GOPAT.

“A cada encontro eu estou absorvendo tudo de bom que está sendo dito. Aprendi a me amar do jeito que eu sou e a olhar com positividade e ser grato, mesmo em tempos difíceis”. - Vinícius Eduardo, GOREH. 

“Nesta quarentena tem sido muito difícil lidar com os sentimentos. Com as lives, ficamos mais confortáveis e conectados com a empresa, além de podermos compartilhar ideias”. - Vânia Dias, CODES.