trem-anima

 

           Mobilizar e conscientizar pais ou responsáveis sobre os riscos das crianças catarem latinhas de alumínio ou comercializar doces e outros produtos nos blocos de carnaval e no interior dos trens. É com esse objetivo que profissionais ligados à Secretaria de Ação Social, Conselhos Tutelares, Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) do município de Santa Rita e Equipe CBTU em Ação embarcam nos VLT’s Urbanos, na manhã desta quarta feira, 27, e através de panfletos e muitas informações vão tentar mostrar os perigos que podem ir além das vendas.

            De acordo com a coordenadora do PETI Santa Rita, Tânia Ricardo, a ação será desenvolvida na frente da estação ferroviária e no interior dos trens porque é através do transporte ferroviário que muitas crianças e adolescentes migram para os grandes blocos do projeto Folia de Rua, que acontece até o próximo domingo na capital. “Como nesta quarta feira de fogo sai um dos maiores blocos do pré-carnaval – o Muriçocas do Miramar – decidimos realizar a ação e tentar impedir que as crianças embarquem nos trens para vender produtos ou catar latinhas”, explica.

            No ano passado, de acordo com dados do PETI, 192 crianças foram abordadas por assistentes sociais nos blocos do Folia de Rua. “Além de ser um ato ilegal, as crianças expostas ao trabalho nesses blocos ficam vulneráveis a outros tipos de abuso, como a exploração sexual e consumo de bebidas e outras drogas”, alerta a coordenadora.

            A CBTU João Pessoa é contra o comércio ilegal no interior dos trens feito por qualquer pessoa, principalmente crianças. A Companhia em parceria com a Associação Nacional de Transporte de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) está com uma campanha educativa que visa justamente alertar aos passageiros sobre os riscos ao adquirirem ou consumirem produtos no interior das composições. “Essa tem sido uma luta diária, mas vamos insistir na conscientização e assim afastar esse comércio ilegal, principalmente se envolver crianças”, afirmou o superintendente da CBTU João Pessoa, Paulo Barreto. Para denunciar o trabalho infantil, basta apenas ligar para os números 123 (estado) e 100 (nacional).

Peti carnaval edit