Imprimir

310519aO auditório da CBTU Recife ficou pequeno para a quantidade de familiares e empregados da Companhia que vieram para a cerimônia de encerramento da turma 2018/2019 de jovens aprendizes, coordenada pela GOREH/CODES. Os 73 jovens, entre 14 e 23 anos iniciaram as atividades na companhia em setembro de 2018. O projeto Jovem Aprendiz é feito em parceria com a ONG Organização Auxílio Fraterno (OAF). A mesa contou com a presença do diretor-presidente da CBTU, José Marques de Lima; do Superintendente da STU Recife, Leonardo Villar; da diretora da OAF, Roxana Maranhão; do gerente regional de planejamento, Walter Neukranz; do gerente regional de obras, Adilson Bezerra; gerente regional de manutenção, Fábio Dantas; do gerente regional de operação, Alexandre Maranhão; e da gerente de recursos humanos, Danielle Filgueiras.

“Para mim é um privilégio estar aqui, dada a importância do evento. Essa não é a primeira vez que venho acompanhar a cerimônia de despedida dos aprendizes, mas cada vez que venho é sempre uma emoção”, comentou o diretor-presidente da CBTU, José Marques. Já o superintendente da STU Recife, Leonardo Villar expressou sua felicidade por ter participado da construção profissional dos aprendizes e destacou que o programa Jovem Aprendiz é a ação social que mais tem apoio dos funcionários do Metrô.

310519b

Lágrimas não faltaram ao longo do evento, que foi repleto de depoimentos emocionados, tanto por parte dos aprendizes, quanto dos empregados da CBTU e da OAF. “Entrar na CBTU foi emocionante para mim, principalmente por ter sido meu sogro a pessoa que sempre quis me ver trabalhando na empresa. Infelizmente, assim que eu iniciei na OAF, ele acabou falecendo. Mas acredito que se ele estivesse aqui entre nós, ele estaria muito orgulhoso”, afirmou a aprendiz Poliana Silva, sobre sua experiência na Companhia, onde seu sogro, Giuliano da Matta, trabalhou por 34 anos.

Para incentivar os jovens que agora começam sua vida profissional, o aprendiz da turma de 2014, Mateus José, relatou sua experiência desde que se formou no projeto. Atualmente, ele é estudante de direito e estagia na CBTU. A chance de conduzir os jovens ao mercado de trabalho, como no caso de Mateus, é justamente um dos principais ganhos do Programa Jovem Aprendiz, segundo a gerente de recursos humanos, Danielle Filgueiras. Os jovens desenvolveram atividades durante 16 meses, na sede administrativa da CBTU e no Centro de Manutenção de Cavaleiro. Além disso, receberam aulas na OAF para completar sua formação. “Durante esse período, nós temos uma troca de experiência. Tanto eles, quanto nós aprendemos”, comentou a coordenadora de desenvolvimento de recursos humanos, Renata Costa.

O encerramento da cerimônia contou com a entrega dos certificados de conclusão, que foram entregues pelos professores da OAF e pela entrega de uma placa de conclusão das atividades entregue pelos supervisores de cada aprendiz. Todos ainda puderam participar de um lanche no refeitório da sede.