trem-anima

 

1972A CBTU Belo Horizonte recebeu os integrantes do bloco Baianas Ozadas, que se apresentaram nas escadarias da Estação Central, na última sexta-feira (30), para chamar a atenção para o Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado no dia 1º de dezembro.

Além dos tambores do Baianas, a ação contou com a presença da doutora Irene Adams, médica holandesa, fundadora da Clínica Ammor, que esteve no local alertando as pessoas sobre os riscos das DST’s, fazendo distribuição de preservativos e divulgando as ações realizadas na Clínica.  “Aids tem a ver com todo mundo, grande, pequeno, velho ou jovem. As pessoas têm que entender que não é um grupo de risco ou um comportamento de risco, está aí. E, em média demora dez anos para a pessoa ter sintomas da doença, então o segredo é todo mundo perceber que está em risco e ir fazer o teste”, diz Irene. 

Durante a mobilização, o coordenador da ala de dança do Baianas Ozadas Cristiano Ribeiro destacou a importância da prevenção para o combate à doença. “Hoje a gente sabe que com os remédios podemos controlar essa doença, porém, evitar ela é o mais correto. Sabemos que esse tipo de campanha atinge pessoas que não estão tão informadas sobre esse tema e buscamos conscientizá-las que a prevenção é o melhor remédio”, explica ele.

O Projeto Ammor: O Projeto Ammor existe em Belo Horizonte desde o ano de 1988, e é especializado na prevenção, detecção precoce e acompanhamento da infecção do vírus HIV/AIDS e de outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) entre crianças e jovens em situação de rua. A clínica ambulatorial referência entre a população em risco social oferecendo atendimento médico (enfermagem, pronto atendimento, check up, planejamento familiar, ginecologia, psicologia clínica, nutrição), intervenções educativas entre os jovens e capacitação dos educadores.