trem-anima

 

A Oficina Manutenção Ferroviária da CBTU João Pessoa, localizada na cidade Cabedelo, iniciou nesta semana um serviço inédito no sistema local: o reperfilamento de rodas ferroviárias. Com essa nova atividade, a Oficina passa a realizar a usinagem nas rodas das Locomotivas, Carros Passageiros e VLTs, sem precisar mandar os rodeiros para a Oficina de Manutenção de Cavaleiro, na CBTU-REC (PE). Dois rodeiros já foram recuperados em Cabedelo.

Segundo o coordenador de manutenção (Coman) da CBTU João Pessoa, Sérgio Marcelino, a finalidade de todas as ações da Coman é evitar custos com a manutenção, utilizando a nossa própria unidade e empregados para execução deste serviço, que antes eram realizados pela unidade da CBTU-REC, isso proveniente do investimento com equipamentos e ferramentas que a STU-JOP vem nos proporcionando. “Com essa iniciativa, vamos registrar uma economia substancial porque não teremos custos de transportes, diárias e horas extras, para levar os rodeiros até Cavaleiro na CBTU-REC”, explica.

 

De acordo com o supervisor da área, Abelardo Luiz Ferreira, a autonomia do sistema de João Pessoa nesse segmento vai reduzir o volume de reperfilamentos realizados no Recife, responsável pela usinagem dos rodeiros dos trens das Unidade de Recife (PE), João Pessoa (PB), Natal (RN) e Maceió (AL). “Dessa forma, conseguimos alcançar uma grande agilidade e rapidez na execução do serviço”, acrescenta.

O serviço só se tornou possível depois que a CBTU-JOP adquiriu um torno horizontal e admitiu o empregado, José Ailton do Nascimento Costa, aprovado no último concurso público, com habilidades em tornearia. “Diante da necessidade e de ter o equipamento já pronto para o uso na Oficina, fui deslocado até Cavaleiro onde fui treinado e agora estamos realizando o serviço com a mesma eficiência dos colegas de Recife”, conta José Ailton.

O rodeiro ferroviário é composto de duas rodas acopladas por um eixo e um par de rolamentos acoplados às extremidades do eixo. Com o uso, as rodas começam a apresentar desgastes, o que faz necessário o reperfilamento para corrigir o desgaste proveniente do atrito entre a roda e trilho na ferrovia, proporcionando o funcionamento correto e mantendo a segurança operacional do Material Rodante Ferroviário.

oficina torno3