trem-anima

 

2013A Coordenação Operacional de Segurança promoveu na última semana a entrega de mais de 130 novas carteiras de identificação funcional aos profissionais de Segurança Metroferroviária que atuam na CBTU-BH. O Superintendente Miguel Marques participou da abertura do evento elencando as principais ações empreendidas em favor de uma maior autonomia e valorização da área, incluindo melhorias como modificações no organograma da STU-BH, capacitação de empregados e aquisição de equipamentos para a execução das rotinas de segurança do transporte metroviário.

Na ocasião, Miguel Marques destacou com entusiasmo a oportunidade de atender as necessidades do grupo. “Fiz questão de participar e promover essa entrega, que é uma antiga reivindicação da categoria e, que para nós, simboliza um comprometimento pessoal da Superintendência em reconhecer os esforços de vocês e a relevância que a Segurança tem para a operação do metrô”. 

O executivo ressaltou ainda o trabalho da CBTU na organização do Carnaval 2019 e a proeminente contribuição da Segurança para a condução assertiva das ações programadas. “Penso que cumprimos um papel social de extrema relevância. Os órgãos públicos solicitaram que fizéssemos uma atividade especial e a ajuda da Segurança, em sintonia com todas as demais equipes, incluindo as gerências de Operação, Planejamento, Manutenção, Obras e Administração, foi fundamental para o cumprimento exemplar de nossos objetivos”.

Medida de excelência: O gerente de Administração e Finanças, Eduardo Coimbra, agradeceu o empenho do STU na promoção das melhorias alcançadas pela Segurança. Ele lembra que a área esteve à beira da extinção, mas renasceu graças aos esforços de profissionais que decidiram se unir em defesa de uma atuação de excelência. “Saímos de pouco mais de cinco profissionais, quase que exclusivamente dedicados à Vigilância Patrimonial, para um quadro funcional que passa de 230 empregados, envolvendo toda as áreas ligadas à gerência de Segurança. Além disso, temos hoje um trabalho de inteligência que é imprescindível à rotina do metrô. O que esperamos de vocês é o aprimoramento dessas medidas de excelência”.  

Também participaram do evento o gerente de Operações, Frank Coelho, o coordenador de Vigilância Patrimonial, Walbert Malaco e o gerente de Estações Rodrigo Guimarães.

Segundo o coordenador de Segurança, Washington Luiz de Souza, “a nova carteira funcional foi  Impressa em papel moeda e traz diferentes elementos de segurança, permitindo uma identificação mais rápida e precisa dos profissionais junto a órgãos externos, como delegacias de polícia e fóruns regionais, além de conter todos os dados pessoais do empregado, entre eles nome, filiação, matrícula, tipo sanguíneo e inscrição legal que serve para evocar as prerrogativas estabelecidas pela Lei 6194/74 que dispõe sobre a segurança do transporte metroviário”.   

Entre outras atribuições, a Lei prevê que incumbe aos profissionais por ela regidos, a segurança do transporte metroviário e a preservação do patrimônio a ele vinculado, as medidas de natureza técnica, administrativa, policial e educativa que visem a regularidade do tráfego, a incolumidade e comodidade dos usuários, a prevenção de acidentes, a higiene e a manutenção da ordem em suas instalações.