trem-anima

 

180321a

 

“Hoje nós temos segurança! Nós chamamos e eles atuam”. Com esta declaração a chefe de posto Adriana da Silva, expressa o sentimento de muitos funcionários da CBTU que tiveram uma melhora no dia-a-dia de trabalho graças à parceria entre a empresa e a Polícia Militar.

Desde o dia 05 de janeiro, a segurança nos vagões e nas estações do Metrô do Recife foi reforçada em razão deste convênio entre a CBTU e a PMPE. A iniciativa teve como objetivo prevenir e reprimir crimes que ocorrem em todo o sistema, inclusive o comércio ambulante, e com isso, proporcionar um ambiente seguro para os usuários e um local de trabalho tranquilo para os funcionários da linha de frente.

De acordo com empregados da empresa, o convênio é um marco na operação do Metrô do Recife. “Nós tivemos uma melhora significativa entre a situação em que vivíamos e a realidade atual. Com a vinda da polícia fomos resguardados de qualquer tipo de ameaça e com isso, as nossas condições de trabalho melhoraram. Não existiu uma alternativa mais acertada do que a PM no Metrô do Recife”, garante a chefe de posto.

Assim como Adriana, o maquinista Roberto José afirmou que é inacreditável e surpreendente a sensação de segurança e paz interior que este convênio com a Polícia Militar de Pernambuco trouxe para os funcionários. “Os usuários estão mais tranquilos, comportados e obedecendo as regras de limpeza e segurança. E com isso, nós, maquinistas estamos trabalhando com ar de segurança. Hoje, somos honrados pelos usuários que utilizam o modal. Dá gosto em operar os trens! Voltamos à autoestima dos anos 80 e 90”, assegura Roberto.

Os números ilustram essa melhora que os funcionários citaram anteriormente. Isso porque, em comparação com a listagem de ocorrência de 2020, os roubos a usuários diminuíram 62% e as ameaças nas estações tiveram uma baixa de 75%. “O êxito do convênio é a nossa vitória. Em destaque ao esforço do Superintendente Carlos Ferreira e sua Equipe. A conquista vem a cada dia, na certeza do dever cumprido”, conclui o maquinista.