trem-anima

 

070720a

Devido à pandemia do coronavírus, o Metrô do Recife adotou, desde o dia 21 de março, horários reduzidos de circulação dos trens das linhas Centro e Sul, além de interromper a operação na linha diesel (VLT). Neste período, houve uma diminuição intensa dos passageiros transportados, chegando a 76% de redução em 31 de março em relação a dia 09 de março, primeiro dia útil após o aumento da tarifa (que ocorreu em 07/03) e quando o COVID-19 ainda não estava tão presente. Além do número de usuários, outro dado também sofreu redução: a quantidade de resíduos recolhidos no sistema. Entre os meses de março a maio deste ano, foram recolhidas 38,4 toneladas, 73,65% a menos que o total recolhido no mesmo período em 2019, de 145,7 toneladas. 

A redução foi apontada por relatório da gerência regional de operação (GIOPE), a partir de dados da coordenação operacional técnica (COTEC) e da gerência operac. de apoio operacional (GOAPO). Segundo o documento, o total de resíduos recolhidos já vinha diminuindo desde o início do ano. Entre janeiro e março de 2020, foram recolhidas 88,3 toneladas, 39,72% a menos que a 146,6 toneladas recolhidas nos mesmos meses em 2019. De janeiro a maio de 2020, a redução foi de 57,36% comparada ao mesmo período do ano anterior, tendo sido recolhidas 103,2 toneladas em 2020 e 242,1 toneladas em 2019. O documento aponta também que a diminuição de passageiros no sistema impactou diretamente na produção de resíduos coletados, fenômeno que ocorreu mais acentuadamente em 2020.

“É importante analisar se a pandemia e os novos hábitos de etiqueta social irão diminuir a produção de resíduos da população, isto poderá ser verificado quando a demanda retornar aos patamares históricos de antes da pandemia, todavia ainda é cedo para concluir se essa premissa é válida. O que se observa é um claro alinhamento da redução de produção de resíduos à diminuição dos passageiros transportados em 2020”, explica Carlos Sá Barreto, da GIOPE.

O engenheiro ambiental da CBTU, Juliano Montaño, explica que os resíduos que são jogados em locais inadequados, como na via férrea, provocam grandes malefícios. “Os resíduos na via podem causar danos ao sistema como um todo. Também atrai animais, como pombos e ratos, que podem trazer doenças. Tem também o fato de estarem sendo destinados inadequadamente. Resíduos como garrafinhas de água, por exemplo, tem um papel grande na reciclagem. Se elas são descartadas inadequadamente, não são recicladas, o que causa sua acumulação no meio e maior consumo de matéria prima”, afirma.