trem-anima

 

 

                A equipe da Via Permanente da CBTU João Pessoa começou, nesta semana, a substituição dos dormentes de madeira por dormentes de material polimérico, resultado de mais de 10 anos de pesquisa e desenvolvido com plástico reciclado pós consumo e com características similares ao de madeira. Os primeiros foram instalados na ponte metálica nas proximidades do Porto do Capim, na Capital. De acordo com o coordenador de Manutenção, Ítalo Bezerra, a Companhia já está fazendo a programação de substituição dos antigos de madeira pelos dormentes poliméricos nas pontes e nos Aparelhos de Mudança de Via (AMVs), o que trará mais segurança ao tráfego ferroviário.

                Segundo o superintendente da CBTU João Pessoa, Paulo Barreto, a aquisição dos dormentes poliméricos corrobora com o compromisso da Companhia com o meio ambiente. “Esses dormentes produzidos a partir de plástico reciclável tem uma durabilidade de mais de 30 anos, impede a ação de fungos, bactérias e degradação com o clima, além de não utilizar madeira, o que torna o sistema mais em conformidade com a sua política de sustentabilidade ambiental preservando o meio ambiente”, afirma.

                Ao todo foram adquiridas 1.300 unidades de dormentes de polimérico com diversos tamanhos e tendo como objetivo atender as especificidades da via permanente da superintendência de João Pessoa, em pontilhões, pontes, AMV’s e etc. “Dentre as vantagens, cita-se: maior vida útil, maior resistência às intempéries, menor peso de carregamento, atendimento as regulamentações ambientais por se tratar de material fabricado através de reciclagem podendo o mesmo vir a ser reciclado novamente no futuro”, acrescenta o coordenador Ítalo Bezerra.