trem-anima

 

 

“Nunca que eu pensei que fosse andar num trem tão confortável e rápido como esse em João Pessoa”. Foi assim que a dona de casa, Marta Peixoto de Lima, externou a sua satisfação ao embarcar na primeira viagem oficial do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de João Pessoa. Ela foi uma das centenas de pessoas que já não aguentavam esperar pelo funcionamento do novo comboio, que em apenas duas viagens, caiu no gosto da população. Nesta terça e durante todos os dias, exceto aos sábados, o VLT continua funcionando em operação experimental em horários que não de pico.

O superintendente da CBTU em João Pessoa, Wladme Macedo, também não conseguiu esconder a sua emoção em entregar o novo trem para os paraibanos. Ele voltou a pedir o empenho e a participação dos passageiros e moradores da região lindeira para preservar o VLT. “Nós estamos preparando uma campanha educativa para chamar a todos para importância e necessidade de mantermos o VLT sempre em condições de tráfego para que todos desfrutem uma viagem com segurança e comodidade”, disse.

Passando em João Pessoa, de férias, a professora francesa Valérie Courlot, aproveitou a oportunidade para conhecer o VLT. Ela disse que teve sorte ao chegar à estação de Cabedelo e dar de cara com o novo trem. “É realmente um trem bastante confortável e eficiente. Espero que quando eu retornar a João Pessoa toda a frota esteja modernizada”, afirmou. Já a estudante carioca, Mayara Raquel Santos da Silva e o estudante paraibano João Victor, aprovaram o novo trem e querem mais vlt’s em circulação.

Durante todo o percurso era grande a quantidade de pessoas esperando para ver o VLT passar. Os moradores da região lindeira acenavam e aplaudiam o novo investimento da CBTU, que está revolucionando o transporte de passageiros da Região Metropolitana de João Pessoa. Durante as duas viagens, entre Cabedelo e Santa Rita e vice-versa, o trem trafegou com a sua capacidade no limite.

“A notícia logo se espalhou e logo vim para passear de trem novo”, revelou a dona de casa, Maria de Lourdes da Silva Figueiredo. “Agora, a população precisa ter consciência que esse trem é nosso e que nós precisamos preserva-lo. Se a gente não cuidar vai faltar e ele é tão lindo, tão confortável que não pode ser destruído por esses malandros que atiram pedras”, completou.

 

 

 

FONTE: IMPRENSA CBTU-JOÃO PESSOA