trem-anima

 

 
Uma temática que está em evidência, o assédio moral e sexual no ambiente de trabalho foi criminalizado e a legislação atualizada para punir os assediadores. Por ser um assunto ainda pouco discutido, principalmente no ambiente de trabalho, a Comissão de Ética da CBTU Maceió realizou palestra sobre o tema, tendo como público prioritário os empregados de serviços terceirizados. 
 
O momento contou com a participação de muitos colaboradores
 
O evento, que ocorreu na sala de treinamento da STU - Superintendência de Trens Urbanos de Maceió, nesta quinta-feira, 19, teve como palestrante Camila dos Santos Vieira, psicopedagoga da Educação Permanente da RAV - Rede de Atenção às Violências de Alagoas, que esclareceu sobre direitos, quais as formas de assédio no ambiente de trabalho e como identificá-los, como a empresa deve acolher e fortalecer as vítimas,  e como combater e inibir essa prática criminosa, a qual ocorre com muita frequência por se tratar de conduta que foi banalizada por anos como sendo “normal”, reforçada por uma cultura machista, a qual permitia tal prática pelos homens. 
 
 
 
Delcely Lemos e a palestrante, Camila dos Santos Vieira
 
Para a membro da Comissão de Ética em âmbito nacional, Delcely Rodrigues Lemos,  “o enfrentamento do assédio só pode ser realizado com efetivo engajamento de todos e, especialmente, daqueles que exercem funções de liderança no trabalho”, razão pela qual foi priorizado o convite para esse grupo de empregados.
 
Já a auxiliar de Limpeza, Josefa Maria Pereira de Melo, conhecida como Jô, o evento foi ótimo. “Muito importante saber que a CBTU abraça a defesa dos direitos dos terceirizados também, porque qualquer pessoa pode ser vítima desse tipo de crime. Fico feliz e atenta”, afirmou.  
 
Segundo o menor aprendiz, Nickolas James, a palestra foi incrível e muito necessária.   
 
Superintendente Carlos Jorge fez sua fala de abertura do evento
 
 
O superintendente de Trens Urbanos, Carlos Jorge Cavalcante, fez questão de estar presente no evento e reforçou a importância de se discutir dentro da empresa sobre todas as formas de assédio e informar a todos que trabalham na CBTU, independente do tipo de contrato, que a administração da Companhia não tolera essa prática, razão pela qual tem apoiado todas as ações tanto da Comissão de Ética quanto do Grupo de Trabalho de Diversidade e Inclusão que versam sobre assédio moral e sexual. “Queremos construir um ambiente mais saudável a cada dia, e para isso o respeito às mulheres e a todas as pessoas é fundamental”, disse. 
 
Maceió, 19 de outubro de 2023.
 
Ana Cristina de Moraes Sampaio
Assessora de Comunicação 
Comak - CBTU Maceió