trem-anima

 

 

Em homenagem à Campanha do Outubro Rosa, na quinta (19/10), a Administração Central da Companhia Brasileira de Trens Urbanos da (CBTU AC), em Brasília, realizou palestra sobre a Violência contra a Mulher. O encontro foi incentivado pela Gerência Técnica de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Gedes) e palestrado pela psicóloga Paloma Fernandes, com o objetivo de levar mais conhecimento e esclarecimento para os empregados a respeito do assunto.

“É fundamental quebrar o silêncio em torno da violência doméstica e reconhecer que isso é um crime e uma violação dos direitos. Aqueles que sofrem com a violência doméstica muitas vezes enfrentam um ciclo de medo, controle e abuso, e é nossa responsabilidade como sociedade tomar medidas para acabar com esse ciclo”, disse Adriana Bressanin, gerente da Gedes.
Um tema bastante delicado, porém, pouco comentado, a violência contra a mulher pode ser caracterizada em cinco formas: física (espancar, sufocar, agredir); psicológica (ameaçar, humilhar, intimidar); sexual (estuprar, assediar ou abusar); moral (difamar; expor, acusar sem provas); e, por fim, patrimonial (furtar, extorquir, roubar, impedir de trabalhar).
Para Adriana este é um problema alarmante. “A violência doméstica é um problema devastador que afeta muitas pessoas em todo o mundo. Ela se manifesta de várias formas e pode ocorrer em qualquer contexto, independentemente de idade, gênero, orientação sexual ou origem étnica. É crucial oferecer apoio às vítimas de violência doméstica, encorajá-las a buscar ajuda e fornecer recursos para que possam reconstruir suas vidas em segurança. Educação sobre relacionamentos saudáveis, igualdade de gênero e respeito mútuo é fundamental para a prevenção”, enfatizou.
Um dos temas abordados foram os estágios que a violência acontece. No primeiro estágio passa por tensões que estão voltadas para as humilhações, ofensas e provocações; já no segundo estágio, por explosões que vem acompanhadas de agressões e no terceiro pela “lua de mel”, no qual há a promessa de mudança. De acordo com a palestrante Paloma, esses estágios podem sempre se repetir. “Esse ciclo pode acontecer diversas vezes até acontecer coisas mais graves com a vítima. Por isso é importante se conscientizar, tomar cuidado e reagir. Por isso é importante saber os canais de denúncia para evitar chegar em situações limites”, disse.
Para Rodolpho Barbosa, gerente técnico de Operação e Manutenção da CBTU AC, a palestra foi muito importante. “Achei muito esclarecedor, principalmente para saber como agir em situações em que haja algum risco para a pessoa e quais são os canais de contato. Esses foram meus principais ganhos sobre a palestra de hoje”, finalizou.
É importante lembrar que sua denúncia pode salvar uma vida. Os canais disponíveis são o Disque 190, para casos de emergência e o 180 para registro.

Gerência Técnica - Comunicação Institucional